Como criar um condomínio ecológico?

As ações sustentáveis vêm afetando nossa forma de morar e os condomínios de casas ou edifícios buscam por alternativas para serem mais ecológicos e diminuir gastos com água e energia. Neste post você, morador ou síndico, poderá conhecer algumas formas de criar um condomínio ecológico ou mais sustentável.

Se você já mora num condomínio de casas ou apartamentos, há mudanças de pequena e grande escala que podem ser feitas para adequar o local que você vive e criar uma maior consciência ecológica entre os moradores.

Mudanças de pequena escala:

Criar coletores de resíduos sólidos separados:

O condomínio deve entrar em contato com os diferentes órgãos ou empresas que coletam resíduos e criar compartimentos no edifício. Além do lixo reciclável (metal, plástico, papel e vidro), é possível criar outros compartimentos: óleo de cozinha, pilhas e baterias, lixo eletrônico, roupas e objetos para doação para entidades carentes…

 

Compartimentos de lixo reciclável com cores diferentes para cada tipo de material, facilitando o processo de quem deposita o lixo e de quem o coleta.

Compartimentos de lixo reciclável com cores diferentes para cada tipo de material, facilitando o processo de quem deposita o lixo e de quem o coleta.

Conheça a ecycle, que possui um banco de dados dos postos de coleta de resíduos sólidos em várias cidades do Brasil.

 

Criar uma pequena horta ou pomar:

Sabe aquele canto que o paisagismo está feio e mal cuidado? Pode ser transformado numa horta ou pomar coletivos, em que os moradores ajudam a cuidar, ensinam as crianças e podem usufruir de alimento e temperos orgânicos. Quanto maior melhor, a idéia já foi implantada até em praças públicas na Europa. A horta também pode ter uma composteira para resíduos orgânicos dos moradores. Esta ideia de usar tonéis para criação das áreas deixa a horta com um charme a mais, fonte aqui.

aa76a21ba547fa437a3ba0916cc479f0

Substituir as lâmpadas:

Trocar as incandescentes do condomínio por outras de menor consumo e instalar sensores de presença nas áreas comuns: essa atitude pode diminuir em até 60% o consumo de energia do edifício. Veja mais neste post!

 

Mudanças de grande escala:

- Coletar água de chuva no telhado e utilizar para o jardim;

- Cobrir áreas como guaritas, quiosques, edículas, estacionamento com telhados jardins para aumentar área verde;

- Utilizar pavimentos permeáveis, permitindo a passagem de água e ar através de seu material, sendo absorvida pelo solo, tendo um impacto ambiental positivo ao ajudar na prevenção das enchentes, redução das ilhas de calor, recarga dos aqüíferos subterrâneos e manutenção das vazões dos cursos d’água nas épocas de seca;

- Instalar coletores de energia fotovoltaica para gerar energia para iluminação ou elevadores;

- Inserir paisagismo ecológico com uso de espécies nativas e aumento de permabilidade do solo;

- Melhorar o conforto térmico do edifício pela instalação de brises ou esquadrias de vidros especiais.

 

Atitudes ecológicas.

Atitudes ecológicas (Fonte: Rasca)

Os empreendedores também vêm buscando investir em sustentabilidade e a Ecodhome já executou um projeto de condomínio ecológico que ganhou um certificado de sustentabilidade pelo prêmio Holcim, O Condomínio ecoville.

Projeto Ecocondomínio EcoVille - projeto da Ecodhome arquitetura.

Projeto Ecocondomínio EcoVille – projeto da Ecodhome arquitetura.

 

O projeto engloba:

  • Arquitetura bioclimática com máximo aproveitamento de sol e ventos em todas as unidades;
  • Telhados verdes;
  • Uso de materiais de baixo impacto, renováveis ou reciclados;
  • Uso de pavimentação que garante a permeabilidade do solo;
  • Paisagismo ecológico;
  • Aproveitamento de água de chuva;
  • Aquecimento solar da água;
  • Tratamento de efluentes de forma descentralizada e de baixo impacto;
  • Uso de tintas e acabamentos com baixa emissão;
  • Gerenciamento de resíduos.

 

CONHEÇA MAIS SOBRE O PROJETO DO CONDOMÍNIO ECOLÓGICO AQUI!

 

 

 

 

Eco atitude do dia – dia 34

Hoje descobri na internet algo maravilhoso que queria compartilhar aqui, uma iniciativa da ECycle, que catalogou pontos de coleta e reciclagem de resíduos que podem ser encaminhados corretamente, em todo o Brasil.

Veja aqui o cadastro dos postos de coleta.

Assim você pode saber o que deve separar no seu lixo e onde levar na sua cidade!

A maior dúvida das pessoas é com relação aos lixos eletrônicos – o que fazer com eles? Acesse o site da Ecycle e veja onde você pode levar seu lixo eletrônico!

Saiba que muitos itens do lixo não devem ser encaminhados para o lixo comum, pois podem causar impactos ambientais muito perigosos, veja a listagem deles:

- Pilhas e baterias;
- Lâmpadas fluorescente;
- Reatores;
- Materiais feitos de amianto (telhas, isolantes);
- Tubos de tinta aerosol;
- Bateriais e óleo automotivo;
- Aparelhos que levam CFC.

Quer fazer o descarte correto? procure o site da ECycle.

Ou recicle você mesmo, veja uma ideia simpática para fazer com lâmpadas incandescentes:

vasos com lampada
Veja o tutorial aqui!

Eco atitude do dia – dia 33

Quase todo mundo adora uma fritura, mas o que poucos sabem é que este hábito pode impactar seriamente o meio ambiente. O óleo de cozinha usado para frituras tem causado dor de cabeça para ambientalistas e engenheiros sanitaristas, pois é difícil dar uma solução para ele:
- se jogar no sistema de esgoto, ele pode solidificar e ficar retido em encanamentos, o óleo fica intacto no final do processo e vai para rios e lagos. No ambiente natural, o óleo fica na superfície de corpos de água impedindo que a luz alimente os fitoplânctons, essenciais para o ecossistema aquático;
- Se jogar óleo no lixo, ele é capaz de contaminar e impermeabilizar o solo, causando enchentes ou contaminando lençois freáticos.

O que fazer? Pare de comer frituras! Isso fará bem para você e para o meio ambiente.

Caso você não consiga abrir mão de algumas frituras, o melhor a fazer é colocar o óleo em um recipiente fechado e procurar por postos de coleta. Alguns postos de gasolina já estão coletando óleo de cozinha, informe-se! Dos postos de coleta este óleo segue para reciclagem para virar sabão ou biodiesel.
Confira onde doar seu óleo de cozinha utilizado:

ABC Paulista – Instituto Triângulo – (11) 4991-1112/www.triangulo.org.br
Curitiba – Coleta especial de óleo de fritura da Prefeitura Municipal – tel.: 156/www.curitiba.pr.gov.br
Florianópolis – Universidade Federal de Santa Catarina, Associação Industrial e Comercial de Florianópolis (Acif) – www.acif.org.br ou nos postos Galo (Lagoa da Conceição)
Porto Alegre – Projeto de reciclagem de óleo de fritura – www.unverde.wordpress.com
Ribeirão Preto – Projeto Cata óleo – (16) 602-3734
Rio de Janeiro – Programa de Reaproveitamento de Óleos Vegetais (Prove) – (21) 2598-9240 e Disque-Óleo – (21) 2260-3326/www.disqueoleo.com.br
Salvador – Renove – Reciclagem de Óleos Vegetais – (71) 9979-2504/www.renoveoleo.com.br

Veja uma parte do artigo da EcoDesenvolvimento sobre o Biodiesel e sobre o sabão feito em casa:

Biodisel – A transformação do óleo de cozinha em energia renovável começa pela filtragem, que retira todo o resíduo deixado pela fritura. Depois é removida toda a água misturada ao produto. A depender do óleo, ele passará por uma purificação química que irá retirar os últimos resíduos. Esse óleo “limpo” recebe então a adição de álcool e de uma substância catalisadora. Colocado no reator e agitado a temperaturas específicas, ele se transforma em biocombustível e após o refino pode ser usado em motores capacitados para queimá-lo.

Sabão – Para fazer barras de sabão a partir do óleo de cozinha, basta seguir a receita abaixo:

Materiais

1 litro de óleo de cozinha usado
200 mililitros de água
Essencia em óleo
1 colher cheia de fubá
200g de soda cáustica em escama

Preparo

Coloque cuidadosamente a soda em escamas no fundo de um balde.
Depois, coloque a água fervendo.
Mexa até diluir todas as escamas da soda.
Adicione o óleo e mexa.
Adicione o fubá e a essencia e mexa novamente.
Jogue a mistura numa fôrma (use uma embalagem TetraPak aberta em cima) e espere secar.
Corte o sabão em barras.

Atenção: A soda cáustica pode causar queimaduras na pele. O ideal é usar luvas e utensílios de madeira ou plástico para preparar a mistura.


Imagem: örbita da terra

Eco atitude do dia – dia 31

Mais uma vez vou falar de consumo consciente, pois nunca é demais falar disso. Hoje a eco atitude é: compre produtos fabricados por ONGs e faça uma ação social e muitas vezes ambiental.

Alguns belos exemplos deste tipo de produto, que mostra que o eco-social pode ser bonito e útil, são:

Oficina Boracea: administradas por pessoas saídas das ruas e situações de extrema pobreza, a oficina boracea faz artesanato com reciclagem de jornal e papel, transformando em lindas esculturas:

O Instituto da Terra: trabalha com reciclagem de papel e desenvolvimento de produtos e brindes junto aos presidiários, contribuindo para reabilitar seres humanos pelo trabalho criativo, recuperando sua auto-estima e contribuindo para a geração de renda.

Interiores reciclados

Com criatividade e bom gosto é possível fazer muita coisa nos espaços interiores com reuso, reciclagem e reaproveitamento de peças. Veja alguns exemplos:

Usar letras de letreiros antigos é uma moda que dá muito charme aos espaços. Entre em contato com empresas de comunicação visual e veja se eles possuem algo que foi retirado de fachadas e lojas:

Usar caixas de frutas para guardar coisas na cozinha também dá um ar vintage e charmoso, procure as feiras e supermercados para encontrá-los:

Sobrou tábua na obra? Lixe bem, passe verniz ou cera e monte uma mesa com pés metálicos:

Jornais e revistas velhas podem virar papel de parede:

Eco atitude do dia – dia 28

Vamos falar hoje de EcoBags… que elas são lindas e práticas todos sabemos, mas é preciso cuidar pra que isto não se torne um novo modismo e você acaba comprando sacolas só para ter, ou seja, mais uma forma de consumo. Eu não sou muito fã de você começar a comprar um novo produto para levar uma vida mais sustentável, sou fã mesmo é de se aproveitar o que tem para consumir menos e usar menos sacos plásticos.

O que eu faço é guardar as sacolas mais resistentes que recebo quando compro numa loja e vou guardando tudo dentro do carro, assim nunca falta sacola na hora da compra (quem nunca esqueceu sua ecobag?). Mas já vi gente por aí fazendo muita coisa linda, como estes modelos aí:

Sacola de reaproveitamento de sacos de juta:

Sacolas de reaproveitamento de embalagens:

Sacola feita com trançado de papel:

Quem quiser soltar a criatividade, aí esta uma boa coisa a se fazer!

Pisos com conteúdo reciclado

Para se adequarem às novas exigências do mercado, algumas empresas desenvolveram pisos que possuem conteúdo reciclado na sua composição. Selecionamos vários deles aqui:

Piso EcoStone, da Eliane: produzido com Sistema de gestão ambiental, o piso Ecostone pode ser considerado um dos mais sustentáveis no Brasil, com 60% de massa reaproveitada e uso consciente de energia limpa (90% de água reaproveitada do processo e até 50% de economia de energia elétrica no processo de moagem). Possui 3 cores (branco, crema, mocca e sépia) eo preço fica em torno de R$ 100,00 o metro quadrado.

A Portobello também desenvolveu 3 linhas de porcelanatos sustentáveis com conteúdo reciclado e menor consumo de água e energia na produção:
Linha Habitat e Planet, os pisos sustentáveis mais econômicos do mercado, no valor de aproximadamente R$ 35,00 o metro quadrado::

Linha Brava, para áreas externas:

A Neostone lançou toda uma linha sustentável, a Linhas ecologic:
Pietra Reciclata (100% de material reciclado)
Ecotech (70% material reciclado)
GreenTech (40% material reciclado)
Crystal ( 40% material reciclado)

Para áreas de pavimentação, a Braston desenvolveu um piso intertravado de concreto com 80% de conteúdo de pneu moído. O preço é um pouco maior que o padrão, em torno de R$ 120,00 o metro quadrado:

Na área de cimentícios, a Concresteel possui uma linha somente com conteúdo reciclado:

A linha Ar, leva pneu na composição.
A linha com conteúdo de vidro temperado lixado (Dubai, Fogo Barro, Fogo Neve).
A linha com resíduos de construção e demolição (Magma, Terra Barro, Terra Cinza).

Quer saber mais sobre materiais sustentáveis? Adquira a apostila sobre materiais sustentáveis da Ecodhome:

Eco atitude do dia – dia 27

Quer diminuir o volume do lixo? Use produtos que possuem refil! O uso de refis vem diminuindo cada vez mais o volume do lixo, já que a embalagem do refil tem um volume mais de 10x menor que a embalagem original. Os resultados de empresas que adotaram os refis foram fantásticas, em 2005, a Natura, por exemplo deixou de colocar no mercado 2,2 mil toneladas de embalagens com a venda de refis.

Além do refil, vários fabricantes vem pesquisando formas de diminuir as embalagens, pois isso gera economia para eles e para quem compra. Alguns deles vem desenvolvendo produtos concentrados, como os amaciantes e sabão OMO, e este sabonete líquido, que você troca o pequeno refil e preenche com água:

A dica é eco de econômica e de ecológica, reutilize suas embalagens (você pode até customizar, veja aqui) e compre apenas o refil.

Eco atitude do dia – dia 24

A Eco atitude de hoje é bááásica: separação de lixo! Apesar de básica resolvi falar porque muita gente não sabe separar lixo, então aí vão as dicas:

Primeiramente é necessário separar o lixo em 3 categorias: orgânico, recicláveis e resíduos.

- O lixo orgânico é formado por resíduos de origem vegetal e animal ou de fácil decomposição como o papel. Pode ser aproveitado numa composteira e utilizado como adubo, neste caso é indicado que se use apenas resíduos de origem vegetal, já que a animal pode atrair animais e possuir cheiro forte. Se você pretende fazer uma compostagem indico que tenha na cozinha uma lixeira especial, forrada com jornal, como esta aqui que vi no site Greenvana:

Assim você pode jogar o papelão inteiro na composteira junto com os resíduos! Em breve falaremos mais sobre compostagem.

- O lixo reciclável deve ser encaminhado para reciclagem quando existir coleta seletiva na sua rua. Informe-se a respeito e, se não existe, force a prefeitura local a fazer, através de mobilização do bairro. Saiba que não é preciso separar o lixo reciclável em diferentes categorias, pois é feita uma triagem no centro de reciclagem, assim você não precisa ter 5 lixeiras na sua casa! E o que é reciclavel?

Vidros: devem ser lavados e protegidos por sacos ou papelão antes de serem jogados fora;
Papel: são todos recicláveis desde que não tenham laminação plástica e não estejam muito sujos;
Metais: todos os metais são recicláveis, principalmente o alumínio;
Plástico: todos os sacos de embalagens que conhecemos são recicláveis: PET, PVC, isopor,PP, PE, procure sempre a sigla:

Apesar de haver separação de lixo em muitas cidades, é triste saber que somente 80% dos materiais recicláveis são mesmo reciclados! Portanto precisamos nos mobilizar para que essa taxa aumente, converse com as pessoas a respeito e ensine as suas crianças. É na idade infantil que desenvolvemos hábitos e valores para toda a vida!

As embalagens Tetrapak podem ser recicladas, mas isto vai acontecer somente se sua cidade estiver dentro da rota da reciclagem, clique aqui para saber. Se tiver, você pode jogar estas embalagens no lixo reciclável.

O que sobrou disso tudo?

- Lixo residual: que não pode ser reciclado, nem aproveitado, vai para os lixões! São eles: papel higiênico, absorventes, fraldas descartáveis, embalagens de papel laminado, adesivos, fotografias, papel carbono, esponjas de aço e de cozinha, materiais contaminados, cristais, porcelana…

Sabendo disso, comece a separar seu lixo! E procure também reduzir sua quantidade, utilizando menos embalagens e procurando ter uma vida menos consumista!

Casas com material reciclado

Já tem gente construindo casas inteiras com “lixo”, isto mesmo, procurando na internet, encontrei alguns modelos de casas feitas com aproveitamento de garrafas PET, pneus, etc. O conceito chama-se EarthShip, e já há dezenas delas construídas nos EUA e na América Latina.

Veja alguns exemplos:

Esta casa em Honduras foi construída com 8000 garrafas PET, veja site Green Diary.

Esta casa popular foi construída no México:

Crianças fazendo uma parede de garrafas PET na Argentina:

Veja as obras de algumas EarthShips:

E o resultado final:

Casa eco

Alguns detalhes com uso de garrafas de vidro: